segunda-feira, 24 de julho de 2017

Quem cresce o tempo todo é o câncer


A mentalidade do crescimento econômico necessário e imperativo
parece ter inspiração clara e inequívoca: as células cancerígenas 
A lógica do discurso empresarial, com seus conceitos vazios de sentido e sua incitação ao crescimento desmedido, me parece doentia e se assemelha à do câncer, que tem a característica de não ter medidas para o seu crescimento, matando o organismo que o hospeda

“É preciso crescer – não importa o contexto”, diz um artigo publicado em um jornal eletrônico. Essa é a mentalidade clássica do capitalismo: crescer, crescer e crescer, sempre, permanentemente, de forma indelével e constante. Não se pode parar. Parar é estagnar, parar é proibido e não crescer corresponde à morte em um sistema competitivo e altamente especializado, como dizem ser o capitalismo contemporâneo. É como se você precisasse estar sempre tomando fermento e aprendendo coisas novas. Precisa não apenas crescer, mas desenvolver novas habilidades, novas expertises, conforme o termo criado para designar as especialidades.

Crescimento sem limites gera problemas. Problemas ecológicos, principalmente. Mas, não apenas: problemas relacionados à saúde (ou falta de) mental. No meio ambiente, a destruição causada pela mentalidade do “É preciso crescer – não importa o contexto” é flagrante. No plano psíquico, a depressão assume o posto de mal maior na sociedade contemporânea e pode ser dito como diretamente determinado por um contexto de metas inatingíveis que somente se justificam, se é que se justificam, pela exigência de crescer, crescer e crescer em qualquer contexto, custe o que custar. Como bem disse Maria Rita Kehl, a depressão é o típico sintoma de que o barco está fazendo água, ou seja, que a pessoa não consegue sustentar o ritmo esperado para crescer sempre.


A integração forçada e falsamente encenada
dos ambientes corporativos é, em boa parte,
construída sobre bases patológicas que agridem
o bom senso e denigrem a sanidade, pois, nesses
casos, bom é não pensar e repetir as ideias prontas
vendidas por chefetes e pregadores da mentalidade
corporativa - autonomia e senso crítico são proibidos,
embora se diga que o que ocorre é exatamente o oposto
Crescer o tempo todo é patológico
A depressão acaba sendo a queda na inércia, que é, por sua vez, aquilo que os autores do artigo do “crescer, não importa o contexto” diz que devemos evitar. Mas, a depressão é em boa parte motivada pelo que os autores defendem como necessário, essencial. É que essas pessoas que escrevem esse tipo de texto estão, na verdade, agindo para nos confundir, até porque são claramente confusas e se defendem contra a confusão e o caos se agarrando a verdades simplórias como essa do crescer sempre.

Ninguém cresce o tempo todo, nem uma pessoa nem uma empresa. Só uma coisa costuma crescer o tempo todo, inexoravelmente, e, por conta disso, leva o seu hospedeiro à morte: o câncer. E, de certo modo, o pensamento empresarial contemporâneo, com blasfêmias e estultices como as referidas aqui, é um câncer que vem se alastrando de forma perigosa e destrutiva.


PS: os autores do artigo são empregados de uma empresa de consultoria empresarial. Não lhes cito os nomes porque isso não é importante, já que apenas representam uma forma de pensar, uma má forma de pensar, mas que é a que tem predominado no mundo corporativo. Como dito, representam uma má forma de pensar, mas não são necessariamente maus, ou totalmente maus. São apenas porta-vozes de um pensamento cancerígeno, que tem vitimado muitos dos que pretendem sobreviver em um ambiente doente como o criado pela sociedade de consumo característica do capitalismo financeiro contemporâneo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário