sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

É só alguém vestido de palhaço (ou palhaça), não um autêntico e verdadeiro palhaço (idem)

Ele não é um palhaço. Está apenas vestido como tal. E um palhaço não é um palhaço 24 horas por dia, é claro. Isso lhe traz certo conforto, mas também é fonte de desconforto, casualmente. A vestimenta é importante, está por cima de tudo, ele pensa e deduz que o que está acima, como o Chefão está acima de todos, é o que importa. A aparência é tudo, sempre afirma a quem queira ouvir. Preferia ter uma bela aparência a ter moral, ética ou prezar bons costumes. Tolice!, dizia quando lhe cobravam mais respeito pelo próximo. Somos competidores, berrava, o que quer que eu faça? Que trate um inimigo como o meu melhor amigo?

Sim, todos esses sujeitos, homens e mulheres, que se vestem como palhaços são inegavelmente palhaços natos e inimigos uns dos outros. Alguns, é claro, menos; outros mais, com certeza. Mas, todos o são, independente de grau, número ou nível. A palhaçada é geral, livre, incentivada e mesmo exigida em alguns casos, assim como a competição, que dizem saudável e ainda desejável a uma vida sem sal nem sabor. É que, no mundo dos palhaço, não há meio termo, ou uma coisa é muito ou não é nada. O caminho do meio ou não existe ou fica em um dos extremos opostos. Coisa de palhaço...

Mas, você me pergunta: o que é, afinal, essa tal palhaçada a que você se refere?

Não tenho como responder de forma clara, pois que aquilo que chamo de “palhaçada” não é algo declarado, muito pelo contrário. Geralmente, quem se veste de palhaço não gosta que lhe digam isso. Ninguém pode chegar para um homem ou mulher que se vestem como palhaços e dizer: ei, palhaço! (ou palhaça, se é que existe isso). Pode até rolar um desconforto e mesmo umas porradas, com chutes e pontapés de palhaço acompanhando tudo.


Não se assuste! É só palhaçada
E não se iluda quando lhe disserem que pancada de palhaço não dói e ainda faz rir. Lembre-se que há alguém apenas vestido de palhaço (ou palhaça), que é tudo uma fantasia, apesar de que essa gente quer porque quer fazer real a fantasia, e que quem está vestido de palhaço pode lhe machucar, sim, de diversas formas: física, moral e sentimentalmente. É gente de carne e osso, no fim das contas, não bonecos, como aparentam ser. Sabem cerrar o punho e socar, ou abrir a mão e esbofetear (o que dói menos fisicamente, mas, moralmente, dói muito mais), isso sem falar de chutes e cotoveladas esporádicas.


Mas, acalme-se. Somente um palhaço imagina que há efetivamente outro palhaço ao seu lado ou em sua frente – ou por trás, conforme o caso. Como você não se enquadra nessa categoria, não vai haver confusão. Você bem sabe que trata-se, usualmente, de alguém vestido como palhaço (ou palhaça), não exatamente um palhaço ou palhaça real, concreto e verdadeiramente autêntico. Saber disso pode lhe poupar muitos dissabores na vida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário