segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Liberalismo é uma coisa, neoliberalismo é outra coisa

No último fim de semana, li alguns textos, como usualmente. Em dois deles, li, mais uma vez, que a doutrina liberal nada têm a ver com a neoliberal, ou, mais precisamente, pouco tem a ver, sendo esta última uma estratégia politica golpista recentemente posta em prática (da metade do século passado para cá) por um grupo. A doutrina liberal embasa a neoliberal apenas esquematicamente, como inspiração estrutural, pois a neoliberal recorre ao discurso liberal do laissez-faire para justificar o butim que promove desde que foi implantada experimentalmente no Chile e, posteriormente, na Inglaterra, em 1979, quando a Dama de Ferro Tatcher comandava, e nos EUA, um ano depois, com a posse do presidente ator de Hollywood Reagan.

Tudo indica que o neoliberalismo é uma malandragem perversa que não tem base na doutrina liberal, salvo pelo aproveitamento discursivo. Veja que os neoliberais são radicalmente contra qualquer iniciativa governamental para regular a economia, mas alguns liberais, inclusive o máster Friedman, já propuseram uma renda mínima para os que recebessem rendimentos menores do que o necessário para viver decentemente, valor que seria estipulado pelo governo. E, ainda no nascedouro do liberalismo, houve quem afirmasse, peremptoriamente, que, para garantir o solo no qual brotariam os bons resultados propostos pelo liberalismo econômico, seria necessário haver uma regulação estatal. Essas são ideias inteligentes que, como tal, jamais seriam aceitas pelos neoliberais.