quarta-feira, 16 de março de 2016

PT afunda e leva a esquerda consigo

No fim das contas, fica a impressão de que o arrivismo, a ambição desmedida de se dar bem a qualquer custo, vendeu a esperança. Aquela mesma que tinha vencido o medo lá no distante ano de 2002... 

No mesmo dia, muitas emoções. Duas, no topo da lista. A primeira, que se esperava a estrela do dia, era a possível, ou provável, nomeação de Lula, o ex-presidente, para um ministério, pela atual presidente, Dilma Rousseff. Isso poderia o livrar do juiz Moro, mas não evitará que as investigações recaiam sobre sua família, principalmente sobre seus filhos. Mas, no fim do dia, eis que surge a segunda, uma verdadeira bomba: o depoimento de Delcídio do Amaral, ainda senador pelo partido do governo, o PT, que põe importantíssimos correligionários na linha de tiro, foi aceito pelo Supremo. 

O que se tem visto e se verá ainda por muito tempo é uma encenação clássica de um naufrágio anunciado. O partido do governo, que parece ter se enrolado demais nas teias dos “esquemas” corruptos tradicionais na máquina pública, vai afundando, como era previsto já em 2014, quando Dilma foi reeleita aplicando um golpe nos seus eleitores, que votaram nela esperando que as coisas tomassem uma direção, quando tomaram outra, logo depois da vitória nas urnas. 

De certo modo, é irônico que os militantes que defendem o governo gritem que não vai ter golpe. Na prática, o golpe já foi dado, mas pelo governo, quando da última eleição. 

Esquerda em apuros
O pior de tudo é o fato de que o PT naufraga e leva junto boa parte daquilo que se costuma chamar de “esquerda”, ou seja, as pessoas que militam politicamente com foco na igualdade ou mais, com o objetivo de buscar um aspecto menos animal do ser humano. Depois do vexame petista, com o fato cristalino que nos leva a conhecer melhor o envolvimento de seus grandes nomes com a corrupção, o cidadão comum vai recuar dois passos quando alguém lhe chegar com algum discurso de fragrância esquerdista. E isso pode significar o sucesso eleitoral do outro lado, da tal “direita”, aquele pessoal que não acredita nos ideais esquerdistas de melhoria do ser humano e que entende que quanto mais animalidade melhor. Afinal, vale tudo para movimentar o mercado e gerar os famosos “benefícios públicos”, pela via dos “vícios privados”. 

Na prática, sai quem diz que as pessoas devem ser mais iguais que desiguais e entra quem diz o contrário e não apenas prioriza a desigualdade como a estimula. Como “consolo”, é possível dizer que o pessoal do PT, que deveria não apenas dizer que luta pela igualdade, mas efetivamente lutar por ela, não fez tanto assim e apenas promoveu um irresponsável ambiente consumista, apenas isso. Na pauta dos petistas parece que houve mais ênfase no objetivo de melhorar de vida do que no de politizar e organizar para melhorar de vida e poder manter a melhoria. 

Arrivismo predominou
O próprio imbróglio que envolve o líder petista, Lula, mostra a mentalidade nouveau riche que orientou e, tudo indica, ainda orienta o time da estrela vermelha. Ele tinha e tem recursos próprios, legalizados, para comprar uma cobertura como aquela ou mesmo melhor e mais bem localizada do que aquela, mas, tudo indica, quis provar a si próprio e a sabe lá mais a quem, que é malandríssimo, que é muito mais esperto do que se imagina. Quanto ao sítio, nem se fala. Para que pôr a propriedade do aprazível recanto em nome de laranjas? 

Se for verdade que o líder Lula pensa, ou rumina, assim, o que dizer da influência disso sobre o resto da militância? Os bons exemplos precisam vir de cima, necessariamente, para serem mais eficazes.  

Segundo Noam Chomsky, que já foi um ícone no apoio e defesa dos avanços petistas no Brasil, o PT se perdeu no envolvimento com a corrupção, afunda e arrasta a esquerda junto ao fundo do poço. É lamentável, ainda mais se levarmos em conta como isso se dá. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário