sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Há 50 anos, o Brasil perdeu o trem

No Brasil, o meio de transporte mais utilizado é o rodoviário, tanto para viagens como para transporte de produto. Esse tipo de transporte tem alto custo e gera mais despesas para a população e para os governos do que a ferrovia.  

A priorização da rodovia em detrimento da ferrovia é indício de que a política de Transportes dos governos brasileiros foi conduzida, nos últimos 50 anos, com base em interesses lesivos à população e ao Estado, que, em tese, deveria servir à população, lhe oferecendo bons serviços em troca dos impostos pagos. 

Desde a década de 1960, o desmonte das ferrovias é ensejado sem sinais de retorno. Há exceções, como a Ferroeste paranaense, que, apesar de exceção, parece só ter recebido atenção adequada durante os governos de Roberto Requião, que a criou, e carrega apenas cargas. 

Há alguns anos, soube de um projeto também paranaense de extensão da malha forroviária, a Ferrosul, que parece ter descarrilado. A RFFSA, antiga empresa brasileira de transportes ferroviários, chegou a ser a maior empresa do país, acima da Petrobras, mas hoje sequer existe.

Cá entre nós, tudo leva a crer que o governante que prioriza o meio de transporte que tem maiores custos atende a interesses que absolutamente não são os nossos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário