quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Maçãs podres do mesmo barril

PT e PSDB são maçãs podres do mesmo barril. As doações dos empreiteiros indicam isso e, embora a maçã petista pareça um pouco mais podre segundo esse critério, não se pode esquecer que uma maçã menos podre é, ainda, uma maçã podre. 

Segue um quiz básico sobre a política brasileira contemporânea, muito útil para você que vai às urnas:

Para que partido os grupos Odebrecht, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e OAS doaram, juntos, R$ 158,6 millhões, de 2002 a 2012? 

Uma dica: esse partido ocupa o poder desde 2002 e, tudo indica, tem enriquecido mais a alguns ricos do que tirado os tais miseráveis da miséria (embora a propaganda oficial omita isso). 

Outra dica: diz que pagou a dívida externa, mas a quadruplicou ao a transformar em interna. 

Dica legal: as letras da sigla do partido são o P e o T e esse partido se define como "dos trabalhadores" embora, na prática, sirva a grandes empresários (como os empreiteiros doadores) e a banqueiros. 

E para que partido os mesmos grupos doaram R$ 106 milhões, no mesmo período? 

Uma dica: é o partido do candidato que está cotado para disputar o segundo turno com a candidata do partido queridinho das empreiteiras. 

Outra dica: foi o partido que governou antes do partido que governa hoje e sua política econômica foi a inspiração do atual partido que está no poder, uma política econômica de concentração de renda e saque ao assalariado. 

Se ainda estiver difícil, vai mais uma dica: esse partido tem quatro letras na sua sigla: começa com o P e termina com o B, sendo que as letras "do meio" são o S e o D... 

E não esqueça: nesta eleição de 2014, as opções equivalem a morrer queimado ou morrer afogado. Ganhe quem ganhar, tudo deverá ficar como dantes no quartel de Abrantes. 

E o brasileiro acha que elege presidente...

Mas, não se iluda, não se estresse excessivamente. Pense que, em 2002, ano da eleição de Lula, Soros, o megaespeculador, sujeito esperto que circula com mestria no mundo dos bandidos financeiros, disse, para quem quisesse ouvir: "O brasileiro acredita piamente que escolhe o próprio presidente". 

Efetivamente, Lula se elegeu e as quadrilhas financeiras nunca ganharam tanto com o Brasil...

Há quem diga que a fala de Soros foi entremeada por gargalhadas e pelas convulsões abdominais características de quem acha muita graça em algo. 

Realmente, para Soros deve ser muito engraçada essa crença bizarra dos brasileiros e de outros povos. Para os brasileiros, porém, creio que é algo trágico. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário