sexta-feira, 13 de junho de 2014

Governo Federal obriga servidor a ir para casa torcer pelo Brasil, mas cobra horas não trabalhadas (mesmo de quem queria trabalhar no dia do jogo)

- Você deve ir para casa torcer pela nossa seleção!, diz o governo.
Está de folga, mas terá que pagar o horário que eu lhe obriguei
a tirar de folga hoje. Se não pagar, será descontada!
Governo Federal fecha repartições em dias de jogos do Brasil, mas determina que servidores compensem o horário não trabalhado. Mas, o horário não trabalhado não foi trabalhado por determinação do próprio governo, que se entenda bem isso. 

Repetindo, didaticamente: o patrão manda você para casa. Não é você que quer ir, você não pediu, você não reivindicou isso. Por você, o trabalho do dia seria realizado, o horário cumprido, sem problemas. Mas, você não pode fazer isso, pois é dia de jogo da Seleção. Mas, o horário que você terá de folga por determinação do patrão lhe será cobrado.

Sim, parece surrealismo ou delírio, mas é real. 

O servidor é obrigado a sair do seu local de trabalho, tem que ir torcer pelo Brasil de qualquer jeito, com determinação do Ministério do Planejamento. Não pode trabalhar, mas tem que compensar o horário que não pôde usar para trabalhar no dia do jogo do Brasil... 

O desejo de torcer, pelo visto, não é tanto dos servidores, mas imposto pelo Governo Federal. O problema é que, além de praticamente obrigar o servidor a empunhar a bandeira da seleção de futebol, o governo ainda quer que ele pague por isso. 

Para mim, isso corresponde a uma conduta abusiva do Poder Público, daquelas que bem podem ser classificadas como "Assédio Moral". E uma atitude nada ética e um governo que tem mostrado claramente que despreza os servidores públicos e, acima de tudo, a cidadania.
Governo quer que servidor vista a camisa e ainda pague por ela. 

O mais interessante é que uma portaria do mesmo Ministério do Planejamento, publicada em 4 de abril de 2014, "não prevê a compensação de horário pelos servidores públicos federais", conforme consta textualmente em mensagem do gabinete da ministra encaminhado às repartições no dia 7 de abril. 

Mais interessante ainda: a comunicação da necessidade de compensação do horário foi encaminhada aos servidores na manhã do dia 12 de junho, poucas horas antes do início do jogo da seleção brasileira na Copa. A realização da Copa no Brasil foi decidida há sete anos e só momentos antes do jogo de abertura os servidores são comunicados acerca da esdrúxula decisão... 

A impressão predominante no serviço público é que o governo perdeu o rumo. Isso não significa dizer que está sem saber aonde ir. Parece, mais precisamente, que o governo escolheu um mau rumo, que o pode levar à perdição... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário