segunda-feira, 28 de abril de 2014

"Perdendo o respeito", texto de Valdo Cruz

O tempo anda fechado, mas o clima está quente, com cheiro de fritura, para Dilma
Texto aparentemente de apoio ao "volta Lula", pelo teor. Repercute uma clara insatisfação interna ao partido e externa a ele, acerca da postura da senhora presidente. Tempo fechado para dona Dilmaquiada... Vamos ver o que acontece daqui para a frente. 

Se o PT perder esta eleição, isso ocorrerá por conta do "fogo amigo". Cabe lembrar que um dos capítulos mais interessantes do livro "Privataria Tucana", de Amaury Ribeiro Júnior, é aquele que trata da campanha de Dilma, em 2010. Ali, está exposto um dos mais graves dramas internos daquele que já se disse Partido dos Trabalhadores (cuja gestão no poder parece desmentir essa alcunha e propor, mais acertadamente, outra, a de "Partido dos Banqueiros" - com um trilhão de reais enviados a eles, só neste ano de 2014). 

Leia, na sequência, o texto de Valdo Cruz



===================================

"Perdendo o respeito"
Valdo Cruz

BRASÍLIA - A liturgia do poder diz que algo anda errado quando um visitante, convidado ao palácio, não poupa de críticas seu anfitrião. Pior quando os áulicos presentes ao salão não escondem sua satisfação com o desconforto do chefe.

Pois tal cena se deu em pleno Palácio do Planalto, durante recente reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o chamado Conselhão, que reúne governo, empresários e sindicalistas para debater os rumos do país.

Presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil, Ubiraci Oliveira, para surpresa dos presentes, disparou críticas ao governo.

Protestou contra promessas não cumpridas de verbas para mobilidade urbana. "O governo foi à TV em junho passado e apresentou um investimento de R$ 50 bilhões. Mas o que estou observando é que, de lá para cá, a situação não melhorou."

Disse mais. "Enquanto isso, corte no Orçamento para fazer superavit, taxa de juros nas alturas e exorbitantes transferências de recursos ao exterior para pagamento de juros aos bancos estrangeiros."

Dilma, na mesa principal, ouvia a tudo de semblante carregado. Na plateia, ministros e assessores faziam, protegidos dos olhares da chefe, gestos de concordância. Teve quem sorrisse de satisfação. Talvez nem tanto pelo conteúdo, mas pela coragem do convidado.

Ao final, Ubiraci foi efusivamente cumprimentado por colegas do Conselhão. Um empresário disse: "Mandou bem". Da anfitriã, ganhou um aperto de mão seco.

O sindicalista lavou a alma de muito assessor que já não aguenta mais as descomposturas da chefe e de empresários que se cansaram do jeito sabe tudo de Dilma.

Enfim, o estilo irascível da petista só joga contra ela própria. Leva ao isolamento --tem ministro que hoje prefere evitar o Planalto-- e sufoca a criatividade de sua equipe. Algo que não combina nem um pouco com a boa governança.

Publicado hoje, 28 de abril de 2014, na Folha de São Paulo
http://avaranda.blogspot.com.br/2014/04/perdendo-o-respeito-valdo-cruz.html 

Nenhum comentário:

Postar um comentário