quinta-feira, 24 de abril de 2014

O ego, senhor de si

Veja o corpo. 

É nosso? Não. 

Dizer que sim é ilusão. 

Então porque tanto fetiche, malhação, maromba, maquiagens, piercings, tatuagens em profusão? 

O corpo é o que nos une e nos expõe a realidade de que não somos donos de nossa embalagem. Aquilo que chamamos natureza o é. 

Mas, o ego, esse burro puxador da pesada carroça que se chama arrogância, o ego teima em nos soprar, todo o tempo: 

"Sois eterno, não morrerás e o corpo é somente teu. Faz com ele o que eu quero, pois que assim esquecerás a tragédia de ser o que és. Esquecerás as penas, as dores e até mesmo a morte, que, no fim das contas, nada é mais do que falta de sorte." 

O ego é tolo e mais tolo ainda quem acredita nele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário