sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Vai um delicioso hambúrguer de comida para cães com molho de amônia num pão com gergelim? Acompanha brinquedo...

Se a justiça fosse realmente cega,
esta cena seria real. 
O chef Jamie Oliver é persona non grata para a rede de junk food McDonald’s. "An unwelcome person", devem dizer os executivos e acionistas dessa fábrica de lixo alimentar. 

Ele mostrou como são feitos os hambúrgueres que recheiam o pão com gergelim e acompanham os picles dos sanduíches vendidos pelo palhaço Ronnie McDonald’s. 

Se você tem coragem e estômago forte, continue. Senão, pare aqui, pois vai saber o que você e seus filhos ingeriram quando comeram aquele McLanche Feliz.

Para começar, a carne é originalmente alimento para cães, mas tudo bem, isso não é nada. O ruim mesmo vem depois: é lavada com hidróxido de amônia (ou "de amônio", tanto faz).

E para que serve o hidróxido de amônia? Tem certeza de que quer saber?

Veja o que está escrito no sítio http://www.infoescola.com/quimica/hidroxido-de-amonio/

“O hidróxido de amônio é utilizado como reagente pela indústria química na produção de tinturas de cabelo, produtos branqueadores de tecidos, fertilizantes agrícolas, explosivos, borrachas, couro, sabão amoniacal, lubrificantes, cerâmicas e detergentes. Também é aplicado á fabricação de cosméticos, medicamentos, aditivos alimentícios e em outros processos como tratamento de efluentes, saponificação de óleos e gorduras, produção de filmes e revelações fotográficas.”

A coisa é pior do que parece. Não estamos falando de meras e gordurosas margarinas ou de óleo saturado, muito menos do velho bicarbonato de sódio, que ajuda a carne e os tomates a ter mais cor, mas causa terríveis dissabores digestivos. O hidróxido de amônia parece ser puro veneno:


“Essa substância é extremamente nociva à saúde humana. Por liberar amônia, o hidróxido de amônio é sufocante e bastante irritante aos olhos, pele, mucosas e aparelho respiratório superior. A intensidade dos efeitos provocados pelo composto depende o tempo de exposição e podem variar de leves irritações até sérias lesões. Se inalado, pode provocar dificuldades respiratórias, queimaduras, espasmo brônquico, edema pulmonar, retenção da urina, entre outras desordens; o contato com a pele e olhos pode ocasionar dor, rubor, irritação e até queimaduras graves; se inegerido, pode causar uma corrosão do esôfago e inflamação do peritônio (camada serosa responsável pela redução do atrito entre as vísceras), tendo como sintomas: dores na boca, no tórax e no abdômem, vômitos, tosse e desmaio.”
O Ministério da Saúde adverte: comer produtos com hidróxido
de amônia não faz bem à saúde. Mas, o ministro Padilha é
candidato a governador de São Paulo e não parece muito
preocupado com isso. Na foto, à esquerda, ele posa feliz
ao lado de um empregadinho de Ronnie McDonald. 
Cabe perguntar se depois de saber disso você vai pôr na boca de seu filho ou filha mais um hambúrguer de carne para consumo de cães com um delicioso molho de amônia. 

E não adianta correr para os nuggets. O mesmo Oliver explica que as sobras da carne de frango, gordura, pele, cartilagem, vísceras, ossos, cabeça, pernas etc. são amassados para se transformar uma pasta rosada (por conta do sangue) que, ao final de um processo que inclui inúmeros processos químicos para lhe tirar a cor e o aroma (nada agradável), é fervida em óleo parcialmente hidrogenado. E esse tal óleo é um elemento costumeiramente presente no cardápio das pessoas que caem vítimas das doenças coronarianas, diabetes, acidentes vasculares etc. 

No fim das contas, parece que a rede de porcarias alimentares acusou o golpe: aceitou as acusações e vai mudar a receita. 

Bem, caro amigo ou cara amiga, se você não entendeu, vou explicar de novo, desta vez usando termos apropriados, claros e diretos: 

Você come cocô? Isso mesmo, merda. Você come? Não? Então que tal parar de comer também no McDonald’s? 

Um comentário:

  1. Nada melhor do que feijão com arroz. Mas também já deve estar fora de moda nos dias de hoje...

    ResponderExcluir