quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Banalidades do dia 20 de novembro de 2013




Coisa de homem

Homens costumam fazer coisas assim. 

Se você é homem, sabe bem disso; se não é, já deve ter percebido. 






Morar no Rio...

Saudade, mas com aquelas "coisas" de prefeito e governador... com aquela polícia militar... bem, saí do Rio em parte por conta de não querer mais lidar com esses problemas. Fora o calor de 50º com umidade de 100%. O preço dos imóveis também não é convidativo, mas teve elevação irreal a partir dos governos de Cesar Maia, "filho" de Brizola (esse era o maior problema do homem: não escolhia bem as companhias) e "pai" disso aí que é prefeito hoje, aliado da elite torpe da cidade, de gente da pior qualidade e mentalidade de nouveau riche, que, cá entre nós, costuma ser o tipo de pessoa mais tosca e destrutiva que há.




Sabedoria

Quando eu era criança, década de 1960, havia aquela coisa "contracultural", rock'n'roll, uh, liberação sexual etc. Um dos principais hits musicais da época era a música "Com mais de 30", de Marcos Valle, baseada numa mitológica palavra de ordem em voga: "Não confie em ninguém com mais de 30 anos". Hoje, sei que essa proposição é uma estupidez inimaginável. 

Ser jovem é bom, mas, como lembrava o sábio Nelson Rodrigues, "O jovem tem todos os defeitos do adulto e mais um: o da inexperiência". 



Com referência a uma certa pornografia

Pornografia jornalística: exposição, com justificativa informativa ou formativa, de fatos, acompanhados ou não de imagens, que objetivam prioritariamente a estimulação instintiva como isca para prender a atenção. Parte fundamental do que ficou conhecido como "jornalismo sensacionalista". 


Originalmente, porém, o termo "pornografia" deriva da descrição escrita da vida das prostitutas. Combinação das palavras gregas porni (prostituta) e graphein (escrita). 

<================= 0 =================>

E, em Curitiba, dizem que, para evitar "prejuízos", o sindicato dos comerciantes conseguiu barrar o feriado da Consciência Negra. Resultado: hoje, muita gente se recusa a gastar sequer um centavo no comércio. Elas por elas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário