quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Está difícil ouvir os dois lados: um é mais insano que o outro

Você gostaria de ver essa cena?
Pois fique na vontade.
Polícia fascista prende mais um inocente, desta vez um "terrorista" da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Fiocruz. Trata-se de sujeito muito perigoso, armado com ideias e conceitos de justiça e cidadania. Mas, é compreensível: o Estado Terrorista odeia a inteligência, o pensamento e a menor jaula do mundo parece realmente ser a farda do policial militar do Rio de Janeiro, por motivos óbvios. 

Leia sobre mais este absurdo em http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/materia/detalhe/33883.

E, ainda por cima, a animalesca polícia carioca pega um monte de meninos e meninas que estavam em um ônibus e os leva para um presídio, quando deveria fazer isso com o senhor governador do Rio, com o senhor prefeito da cidade e com boa parte dos integrantes dos primeiros escalões do Governo Federal. 

Pior ainda: policiais militares entram em outro ônibus e pedem a documentação do veículo ao motorista. Como o dito se recusou a obedecer a ordem estúpida, lhe dão coices e o prendem. Sob que alegação é que é o enigma...

Nos intervalos, a tropa defende o mandato do governador Bundinha de Algodão espancando professores e houve o PM que publicou no Facebook foto com o cassetete quebrado e disse: "Foi mal, fessor". Bem, ficou famoso, saiu no New York Times, até. 

Aliás, falando em "fessor", o Sergio Cabral estudou? Sim, porque quando eu o conheci era burro como uma porta... aliás, pior. Daqueles que acreditavam que o muro de Berlim era uma linha imaginária... Conversar com ele era impossível.  


Cabral só cresceu politicamente enganando os velhinhos e velhinhas, se dizendo "defensor da terceira idade, e depois babando os ovos dos tucanos, de onde saiu para babar os ovos dos petistas.

Mas, deve ter estudado. Afinal, depois da ditadura dos militares (esses péssimos governantes que deram um golpe militar porco, mas que é tratado como "revolução" e que alguns idiotas conclamam a mais um golpe), a educação do Brasil naufragou e ficou fácil até um chimpanzé se formar em qualquer coisa. Basta examinar os acordos MEC-USAID e observar o sórdido plano Aliança para o Progresso, dos ianques. 

Ora, lugar de militar, depois de 1964 é no quartel e olhe lá.

E leio texto de um imbecil blogueiro da Veja (dizem que é pleonasmo dizer isso) que fala de injustiça contra o governo do Cabral, contra a indefesa Polícia Militar carioca e, pasmem, contra a coitada da TV Globo.

Meu Deus, de um lado, a petralhada, do outro, a canalhada "vejista". Que merda, hein?

O blogueiro? Um tal Reinaldo, acho que Azeredo, sei lá. Deve ser discípulo do Diogo Mainardi, que faz tipo de idiota quando, para ele, fazer tipo disso é completamente desnecessário.

E olha que faço força para ouvir os dois lados. Mas, nestes casos, os dois lados são completamente insanos.

De um lado, a Dilma dizendo que é preciso estudar, quando o sujeito que a pôs na presidência não consegue nem assinar o nome, se mostra cada vez mais como um golpista arrivista e quando nem ela nem ele nada fizeram pela qualidade do ensino (muitíssimo pelo contrário).

Do outro lado, os imbecis recalcados quase implorando por um golpe militar digno de filme de Felini.

Você olha para um lado, vê uma malta de esquizofrênicos psicopatas, olha para outro e vê um bando de psicopatas esquizofrênicos. 

Finalmente, sou obrigado a aceitar essa dura realidade: a luz no fim do túnel é um trem que vem em nossa direção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário