sexta-feira, 18 de outubro de 2013

E o PT assumiu: governa com gandola e fuzil.

Leio que o exército sairá às ruas para garantir a dilapidação de uma riqueza nacional claramente proposta pelo governo PTraidor no leilão do pré-sal, campo de Libra. Bem, o PTraidor já sustenta e apoia o governo do Rio de Janeiro, cuja Polícia Militar claramente só serve mesmo para defender o mandato do governador, do prefeito e dos amigos destes, que dilapidam a cidade e são odiados pela maioria. A mesma polícia que fez as desapropriações para a Copa, que massacra professores, se caga diante dos black blocs e prende inocentes. 

Segundo matéria publicada em http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/10/dilma-autorizou-exercito-atuar-no-leilao-do-campo-de-libra-diz-cardozo.html, a presidente maquiada quer as tropas nas ruas contra o povo para garantir que seu governo siga o caminho entreguista e traidor dos ideais em nome dos quais se elegeram ela e seu mestre Lula. Isso significa claramente o que o título desta postagem diz: o PT assumiu o caráter ditatorial que vem marcando uma importante virada na gestão do Estado e não se importa de governar com gandola e fuzil, desde que seus amigos megaempresários e banqueiros fiquem satisfeitos. 

A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal também participarão da repressão ditatorial. 

Engraçado. Uma amiga me diz o seguinte: “Mas, o Brasil esperou tanto tempo para ter uma mulher na Presidência da República e quanto tem é essa decepção”. Como contrariar? 

O mais engraçado. O Exército Brasileiro deveria defender o povo e a Nação, mas, no caso, parece que agirá exatamente contra ambos. Quer dizer, esqueça. Isso não é tão engraçado assim. Ainda mais que para fazer o correto, o Exército deveria é sentar o cacete na presidente e isso seria golpe. Não queremos mais golpes, 1964 foi uma lição inesquecível. 


Sem golpes

Muito se enganam aqueles que falam que os militares “tomaram o poder” para “pôr a casa em ordem”. Isso é uma blasfêmia. O livro “1964: a conquista do Estado”, de René Dreifuss, demonstra metodicamente, com documentação farta, que o que ficou em ordem foram os interesses de grandes grupos econômicos que patrocinaram o nefasto golpe de 1º de abril de 1964. 

Fora isso, vivi aqueles anos terríveis e digo: a cultura nacional foi destruída com a ajuda dos milicos. Mais: a Educação foi torpedeada com a inestimável ajuda dos governos militares. O golpe de 1964, ao contrário do que se diz, foi claramente antipatriótico. 

Mas, agora vivemos outro regime de exceção. E com mais recursos para massacrar os que lutam por liberdade. Nova forma de ditadura, velhas ideias. E com o PT no poder, cada vez mais identificado com os antigos opressores e mostrando a verdadeira face, com as mãos manchadas de sangue. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário