sexta-feira, 14 de junho de 2013

Você que acabou de chegar, achava que ia ficar sentado na janelinha para sempre?

Pense comigo: o que é um shopping center senão um glamouroso lixão? 
Pois é, você que acabou de chegar à classe C e estava se achando o máximo porque pôde comprar um monte de eletrodomésticos e abastecer a geladeira com cerveja para o final de semana, pode parar a farra. O Correio Braziliense publicou matéria que equivale a jogar um balde de água gelada na tua animação. Ou, pior, é daquelas notícias que, como se costuma dizer, aguam o chope. Segundo o jornal o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (o famoso IBGE) divulgou informações dando conta que a inflação está em alta e o processo de ascensão social (sim, aquele que insufla o índice de alegria do povo com o governo da Dilma) vai dando sinais de cansaço. Meu Deus...

Conforme a matéria: 

O comércio, que até bem pouco tempo crescia a um ritmo chinês, dá sinais de fadiga. (...) com a inflação em alta, o varejo já se ressente do esgotamento do processo de ascensão social que marcou o país nos últimos 10 anos. A nova classe média, formada por 40 milhões de brasileiros que engordaram o mercado de consumo nesse período, não só parou de crescer como está vendo o seu poder de compra encolher.

“Não é hora de acontecer algo assim”, me diz um petista com os dedos cheios de cabelos arrancados de sua própria cabeça. Eu, de minha parte, digo a ele que não se preocupe, pois está empregado em um bom cargo desde o governo do Lula e já teve tempo e salário para comprar apartamento, carro novo, boa roupa e de comer fora todo santo dia com a patroa. Se não fez poupança, azar o dele. Mas, na real, eu não me preocuparia ainda. Parece bem provável a reeleição da Dilma ano que vem ou, em caso de emergência, a volta de Lula, o salvador da pátria. De um jeito ou de outro, será muito difícil o PT perder as eleições.

De todo modo, é melhor botar as barbas de molho, digo ao meu amigo. E digo também que reze para que o concurso público anunciado pelo governo federal no início deste mês vá até o fim. É que, segundo o jornalista Claudio Humberto, aquele que ascendeu nos tempos do Collor, o governo está fazendo esse concurso apenas para empregar oficial e perenemente os companheiros que entraram no governo como comissionados. Tanto parece ser assim que a pontuação para “experiência” é astronômica e a para formação e qualificação acadêmica é raquítica. Parece mesmo feito sob medida. Por isso, há gente interessada em melar tudo antes do certame acontecer e tem meu apoio. Quem fazia coisas assim era a ditadura militar e, no caso do PT, há um agravante: o projeto é substituir o máximo possível o Estado pelo governo. Projeto claramente ditatoriais, diga-se de passagem. Muito simpáticos para os companheiros, mas não necessariamente para a multidão brasileira. 

Bem, mas este texto é dedicado a você, consumidor da classe C, que acabou de pegar o ônibus e já tinha até conseguido sentar na janela. Você que descobriu os prazeres do consumo e que, inevitavelmente, ficou um pouco menos humano e amoroso. Sim, caro amigo, o consumidor é um animal predador, destrói tudo o que toca e você tinha se transformado num bicho desses. Aproveite a pausa consumista para pensar melhor sobre a vida. Se voltar a ter dinheiro novamente, se conseguir pagar as astronômicas dívidas, é bom avaliar se vale mesmo a pena viver desse jeito. Em outros termos: é bom mesmo trabalhar que nem um camelo para comprar uma televisão de tela plana que não te dá nem dará merda nenhuma além de uma imagem distorcida do mundo? Tá certo, você estava na miséria até pouco tempo atrás, mas, atenção: a vida do consumidor é miserável, mas não em recursos materiais, é claro. 

E também é hora de saber uma coisa: essa vida de incentivo consumo que o governo do PT adotou é perigosa, aliás, muito perigosa, se não há correspondência em produção. Como não parece haver, é o momento de entender que consumo sem produção não faz verão. É simples: se você não ganhar dinheiro e só consumir, o dinheiro vai pelo ralo, meu (minha) amigo (amiga). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário