terça-feira, 12 de março de 2013

A relação do PT com o SUS comprova: a ditadura militar fez escola



Ali, olha ali, aqueles com a estrela vermelha
são meus pupilos. O barbudo é o melhor aluno

Não gosto de falar sem saber do que estou falando. Acho que ninguém gosta. E observando a proposta do governo de incentivar a associação do cidadão a planos de saúde parece inevitável querer saber mais. A princípio, parece estranho que um governo composto prioritariamente por pessoas de um partido que se intitulou “dos trabalhadores” venha com uma proposta dessas. Explico: se o governo federal está incentivando o “consumo” de planos de saúde, certamente confirma que já está abandonando o sistema público, o Sistema Único de Saúde (SUS), e avisa que pretende radicalizar esse abandono.

Ponto para aqueles que acusam o governo petista de querer privatizar a saúde.

Cabe ao governo da Sra. Dilma explicar essa história, mas o medo, quase certeza, é que toda e qualquer argumentação petista será tão artificial quanto a aparência da presidente, que mais parece a de uma boneca de plástico do que de uma pessoa de carne, tão postiço é seu sorriso. Isso sem falar no cabelo. A primeira presidente mulher do país parece mais uma peça publicitária do que gente.

Cada vez fica mais claro que o governo do PT atende a interesses que não são nem de longe os dos eleitores que o prestigiam há três pleitos. Ficou claríssimo na Reforma da Previdência, que Maria Lucia Fatorelli desconstrói (veja texto no link http://luizgeremias.blogspot.com.br/2012/09/seguridade-social-e-por-maria-lucia.html), e fica claro na forma como trata os banqueiros internacionais e os trabalhadores assalariados. Deveria salvaguardar estes da sanha daqueles, mas, incrivelmente, faz o oposto.

E, não se iluda, há bons indícios que está apostando nas empresas de saúde privadas simplesmente porque estas são excelentes financiadoras de campanhas politicas. O PT pegou o osso e quer roê-lo por pelo menos uns 30 anos, pode ter certeza. Trata-se de um partido político que não tem qualquer diferença em relação aos demais: as mesmas práticas, a mesma ideologia, os mesmos métodos, a mesma mentalidade caipira e predadora que caracteriza as elites nacionais.

Tudo indica que o trabalhador brasileiro elegeu um partido que julgava seu, até pelo nome, mas vai descobrindo que, na prática, escolheu foi um time de serviçais do alheio, prontos a vender suas antigas ideologias tão barato quanto se pode ver. E eu que ouvi, nos tempos de oposição, alguns de seus militantes afirmar que seus ideais valiam mais do que suas próprias vidas...

Como dito no início, não gosto de falar sem saber do que estou falando. No caso do SUS, o conheço suficientemente bem para saber que está mais abandonado do que nunca. Já no caso da proposta do governo, aguardo as explicações necessárias sobre mais essa notícia de ataque ao sistema de saúde brasileiro. Sim, porque ideia igual a essa só vi no tempo da ditadura militar, quando o governo autoritário também passava recursos da saúde pública para as empresas privadas, resumindo nessa ação os seus esforços pela melhoria das condições da saúde pública nacional. Parece que a ditadura fez escola, justamente no partido que mais radicalmente se opunha a ela.

Mas, cabe aguardar maiores informações da senhora presidente e de seu séquito. Senão, sou obrigado a acreditar que, no caso da saúde pública, a sabedoria popular, respaldada pela Física, tem razão: os opostos se atraem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário