domingo, 16 de dezembro de 2012

O sol, esse vilão

Lembro, ainda, do tempo em que os dias de sol eram bem-vindos e, principalmente em finais de semana, o sol ganhava até mesmo aplausos quando aparecia, mesmo que após um breve sumiço, graças à passagem de alguma nuvem. Bastava surgir os primeiros raios solares e as pessoas, em família, em pares amorosos ou mesmo solitárias, saíam de casa simplesmente para recebê-los na pele, alegres e esperançosas com a perspectiva de sentir os efeitos salutares da exposição ao sol. Tomar sol trazia boa saúde, era o que se dizia.

É claro que havia restrições a essa exposição, mas nada de sério. Os pais alertavam os filhos de que o melhor horário para o banho solar era lá pelas sete ou oito da manhã, mas não se dizia, como acontece hoje, que ir à praia ao meio-dia seria algo causador de degenerações diversas, câncer ou quaisquer outros males. Dizia-se que não fazia bem, que os raios eram nocivos nesse período do dia e só.

Há uma distância enorme entre alertar que o sol do meio-dia não faz bem, ou mesmo que “faz mal”, e dizer que o sol causa câncer, catarata e doenças degenerativas. No primeiro caso, há algo como uma preocupação materna, a ternura de uma amizade ou até um mero cuidado carinhoso de quem nos quer bem. No segundo, se você prestar atenção, perceberá que há uma ameaça latente e, mais grave, quase a torcida para que você morra torto se tomar sol em um mau horário, ou, ainda, o interesse em que você compre algo.  

Veja que uma matéria recente de uma revista cujo nome não é nada menos que “Saúde”, sentencia quem se expor ao sol sem óculos escuros, com filtro especial contra os raios solares, cairá vítima de catarata ou mesmo uma assustadoramente até então desconhecida degeneração macular. Isso no barato, pois a coisa pode ser bem pior. Ou você compra óculos com esses filtros, bem mais caros que os de camelô ou que a maioria dos simples óculos de sol, ou estará assinando a sua sentença. Logo, se você não tem dinheiro para essas coisas que pareciam supérfluas, cuidado: o bicho vai pegar pro teu lado.

Não bastam os óculos, têm que ter filtro, lembre-se. Quem diz não sou eu, é um especialista que fala à revista com o claro intuito de te induzir a comprar algo, no caso um óculos turbinado com filtro solar. E ameaça: se você usa lentes escuras sem o filtro adequado, está é desprotegendo seus olhinhos. A luminosidade é menor e as pupilas e as pálpebras se abrem: isso aumenta a penetração e o dano causado pelos raios nocivos do sol. Não há saída, apenas ir à ótica e comprar.

As revistas de boa vendagem costumam sugerir a você a ideia de que você precisa gastar, sempre, para ter segurança, conforto, proteção contra o sol ou qualquer outro bem. A ecologia e os profissionais de saúde funcionam comercialmente bem para isso. Se você não anda podendo gastar, vai sucumbir. É o darwinismo, não se assuste. Somente os mais ricos sobreviverão ao sol, pois podem comprar óculos gastando o que você fatura num mês inteiro de trabalho. Se você não pode fazer isso, foda-se, dizem essas matérias. Ou viva todo o seu tempo sonhando com a chegada do dia em que você conseguirá se proteger integralmente contra todos os riscos. E esse dia chegará, mas você estará duro, total e absolutamente duro e frio. E porá a culpa no sol, com certeza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário