segunda-feira, 18 de junho de 2012

Mais uma denúncia de fraudes nas pesquisas de medicamentos


Matéria publicada na Folha de São Paulo registra a provável existência de manipulações visando alavancar as vendas medicamentos nas pesquisas que deveriam servir para avaliar a segurança de uso dos produtos. Segundo a matéria, um artigo publicado no "British Medical Journal", um ex-funcionário de um grande laboratório expõe a farsa e a ilustra com informações relativas a análises pós-venda de alguns remédios contra diabetes tipo 2. Essas análises são muito importantes, pois avaliam os efeitos colaterais e a relação custo-benefício da droga.

Não é raro que os próprios laboratórios que produzem e vendem os medicamentos sejam os patrocinadores das pesquisas, o que significa que resultados favoráveis são selecionados ou mesmo planejados para elevar o moral do produto. Não é à toa que os departamentos de marketing das empresas acompanham as pesquisas. Os “doutores”, por sua vez, são seduzidos: "Levávamos [médicos] para os melhores hotéis e restaurantes durante as reuniões. Depois, atuavam como 'embaixadores', dando conferências, ensinando médicos e falando com a mídia sobre os benefícios da droga", diz o artigo do ex-funcionário, que se manteve num seguro anonimato, afinal, deve saber bem com quem está lidando. Gente (ou deveria dizer “animais”? Não, talvez seja ofender os bichos) que falsifica pesquisas de medicamentos é capaz de tudo.

Alguns laboratórios citados na matéria, entre eles o Sanofi, se defenderam e negam fazer isso. Outro, Novo Nordisk, também se pronunciou e disse que suas pesquisas estão "100% alinhadas" com as regras das agências regulatórias de cada país.

E agora? Você confia em quem?


Nenhum comentário:

Postar um comentário