sábado, 21 de janeiro de 2012

Direto da biblioteca: Fala Guattari - Tema: “subjetividade”


Parto da ideia de uma economia coletiva, de agenciamentos coletivos de subjetividade, que, em algumas circunstâncias, em alguns contextos sociais, podem se individuar.


(...)


A subjetividade está em circulação nos conjuntos sociais de diferentes tamanhos: ela é essencialmente social e assumida e vivida por indivíduos em suas existências particulares.


O modo pelo qual os indivíduos vivem essa subjetividade oscila entre dois extremos:


1. uma relação de alienação e opressão, na qual o indivíduo se submete à subjetividade tal como a recebe, ou


2. uma relação de expressão e de criação, na qual o indivíduo se reapropria dos componentes da subjetividade, produzindo um processo que eu chamaria de singularização.


Se aceitamos essa hipótese, vemos que a circunscrição dos antagonismos sociais aos campos econômicos e políticos – a circunscrição do alvo de luta à reapropriação dos meios de produção ou dos meios de expressão política – encontra-se superada.


É preciso adentrar o campo da economia subjetiva e não mais restringir-se ao da economia política.



Do livro Micropolítica: cartografias do desejo, escrito em parceria com Suely Rolnik. Trecho retirado da página 33, edição de 1999 da Vozes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário