sábado, 19 de novembro de 2011

Quem disse que traficante não paga imposto?



Desenho de Latuff
 Antônio Bonfim Lopes, o Nem, que é, segundo consta, o ex-chefe do tráfico de drogas da Rocinha, no Rio, afirmou que paga 50% do que arrecada para a polícia. Isso me leva a chegar a uma conclusão absolutamente triste: enquanto o assalariado paga altos impostos para o governo, o traficante, que não é assalariado, também não escapa do fisco. E eu que pensava que alguém escapava da voracidade do Estado...

E disse, ainda, que financiava a vida de muita gente na favela. Isso, com certeza, é verdade. O pessoal que mora nessas comunidades não vê muito o Estado a não ser na hora em que ele vem recolher os “impostos”. Para essa gente, os representantes do poder público andam de farda, armados até os dentes e tratam todo mundo na porrada. Se atirarem em alguém, nada acontece, pois logo vem a explicação fácil, que se divide em duas “desculpas”, usadas conforme a ocasião.

Se o morto é jovem, fazia parte do tráfico. Se o morto é mais idoso, foi bala perdida. Enquanto isso, os “autos de resistência”, melhor conhecidos como execuções sumárias, continuam em alta.

Agora, alguém me explique o que pode entender e fazer um garoto que nasce no meio dessa realidade? Vai ser doutor? Acho que o caminho do crime é mais fácil, o ódio está mais à disposição. Como pode a vida valer algo num caso desses? O que o Estado está ensinando aos jovens pobres, com a ajuda da mídia, é algo muito ruim. O pior é que ensina e depois vem cobrar a lição. E pior ainda, quem aprendeu direitinho, morre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário